Treine seus Profissionais

Passo 5: Treine seus Profissionais

Dê à sua equipe total competência para lidar com crises, para que possam fazê-lo com absoluta confiança

Imagine que sua organização tenha um conjunto completo de funcionários dispostos e capazes de prevenir, reduzir e gerenciar crises com sucesso.

Você reconhece esses problemas típicos de treinamento de profissionais em relação ao Gerenciamento de Crises?

Os funcionários têm medo de usar os procedimentos que foram ensinados a usar em uma crise

Gastamos muito tempo e dinheiro treinando nossos profissionais e eles parecem ter medo de intervir quando acontece uma crise! No passado, os funcionários foram treinados para intervir em uma crise, mas comunicaram que tinham medo de se machucar ou machucar o indivíduo.

Os profissionais não têm certeza de quando usar procedimentos de contenção

Nossa equipe às vezes não tem certeza de quando usar a contenção. Às vezes o problema é subutilização, onde um de nossos funcionários permite que um cliente destrua a sala. Outras vezes, o problema é o uso excessivo, parecendo que a contenção era injustificada. Há até inconsistências entre os funcionários.

Em uma crise, a equipe muitas vezes hesitará porque seu treinamento anterior nunca produziu fluência

 Os funcionários parecem incertos sobre o que fazer quando há uma crise e, quando finalmente se lembram do que deveriam fazer, muitas vezes é tarde demais.

Às vezes, quando há QUALQUER problema de comportamento, a equipe recorre à contenção como se fosse a única opção em sua caixa de ferramentas

 Às vezes, nossos profissionais se comportam como se a única maneira de lidar com qualquer problema fosse “mão na massa”. Parece que eles simplesmente passam direto pela desaceleração sem nem tentar nada.

Então estes são provavelmente seus objetivos e desejos

Funcionários confiantes no uso de procedimentos de emergência

Precisamos de um sistema que dê aos funcionários a compreensão do porquê as contenções às vezes são necessárias, mas também lhes dê confiança para que possam intervir com segurança, protegendo a si e ao indivíduo ao mesmo tempo.

Funcionários recebem critérios muito claros sobre quando podem e não podem intervir fisicamente

Gostaríamos de um sistema que tivesse diretrizes claras sobre quando usar e quando evitar contenções. Eu preciso que minha equipe seja capaz de decidir rapidamente qual curso de ação tomar para resolver o problema.

Quero um sistema que tenha métodos comprovados para garantir a fluência quando os profissionais voltarem ao local de trabalho

Quero ter certeza que, quando houver uma crise, minha equipe saberá imediatamente o que fazer, sem hesitação. Quando minha equipe concluir um treinamento, quero que suas habilidades estejam em um nível em que eles nem precisem pensar no que fazer.

Um sistema que oferece à equipe uma progressão clara de ferramentas a serem usadas para prevenir, reduzir e intervir quando uma crise não puder ser evitada

Eu gostaria de um sistema que ajudasse a reorientar os funcionários em todas as coisas que eles podem fazer antes que a contenção se torne necessária.

Aqui está como o PCM é implementado para fornecer aos funcionários com confiança absoluta para agir:

É projetada para alcançar esses objetivos e desejos. Ela traz altos padrões iniciais quando um treinamento é concluído e a proteção legal de um processo de certificação externo que permite que você defenda que sua organização fez tudo o que razoavelmente se poderia esperar que fizesse em relação ao treinamento de seus instrutores.

O  ‘Modelo para Treinar seu Profissional’ da PCMA é como o PCM é implementado para obter funcionários confiantes, que sabem quando é hora de agir, que agirão sem hesitação e com um sistema com progressão clara para que eles saibam o que fazer a seguir.

“Ter uma equipe que não se sente confiante e competente em uma crise seria como ter um cirurgião de emergência que desmaia toda vez que vê sangue”.

O Modelo da PCMA de Treinar seu Profissional Explicado

Etapa 1: Visão geral teórica
  • Critérios para Contenção

O sistema PCM usa um critério geral, mas muito claro, para o uso de contenção, baseado no comportamento perigoso contínuo que está acontecendo no momento. Vários exemplos e não-exemplos são fornecidos para garantir que não haja uso excessivo ou subutilização da contenção.

  • Níveis de Contenção

Os procedimentos físicos do PCM são organizados em uma hierarquia baseada no nível de resistência na crise. Os procedimentos vão desde o transporte (escolta), passando pela imobilização vertical (em pé) até a imobilização horizontal em um tapete macio. Os praticantes usam apenas os procedimentos necessários para garantir a segurança e nada mais. De fato, o nível de restrição é determinado, em última análise, pelo indivíduo em crise, como pode ser visto nos Princípios Fundamentais.

  • Princípios Fundamentais

O sistema PCM é baseado em quatro princípios fundamentais que são tecidos ao longo de todo o currículo:

    • Respeito pela dignidade humana e ausência de sofrimento (todos os procedimentos são indolores e respeitam a mecânica corporal adequada, áreas pessoais e higiene)
    • Liberdade de escolha (os indivíduos determinam os procedimentos usados por meio do seu comportamento)
    • Alternativa menos restritiva (os funcionários usam apenas os procedimentos necessários para promover segurança)
    • Feedback contínuo (a equipe muda as dicas físicas em tempo real em resposta direta ao comportamento do indivíduo)
Etapa 2: Procedimentos não físicos
  • Prevenção

O PCM coloca maior ênfase na prevenção, portanto, esta estratégia ocupa a maior parte das estratégias não físicas. A ênfase na prevenção está em manter as pessoas estáveis. Os funcionários são apresentados a uma variedade de estratégias que podem usar para evitar uma crise de forma proativa. Os funcionários são ensinados a concentrar seus esforços em manter os indivíduos interessados e na tarefa. Isso desvia o foco de reagir apenas quando há um problema.

 

  • Desaceleração

A desaceleração desempenha um papel importante, mas menos crítico do que a prevenção no sistema PCM. Às vezes, as estratégias de prevenção podem falhar ou simplesmente pode não haver tempo para colocá-las em prática. Devido a esses problemas potenciais, os funcionários são ensinados a detectar comportamentos pré-crise e, em seguida, escolher entre uma série de estratégias de desaceleração que retornarão o indivíduo a um funcionamento estável. Essas estratégias podem variar desde a escuta reflexiva até a mudança de reforçadores, tarefas ou mesmo equipe.

 

  • Reintegração

Após o término de uma crise, os funcionários são ensinados a se concentrar em levar o indivíduo de volta às suas rotinas normais o mais rápido que o indivíduo permitir. Os funcionários são ensinados a reconhecer quando um indivíduo está pronto para voltar às suas rotinas normais e a engajá-lo novamente sem produzir outra crise.

Etapa 3: Procedimentos físicos ensinados para a fluência
  • Segurança pessoal

Os funcionários aprendem uma variedade de procedimentos de segurança pessoal, como mordida, puxão de cabelo e liberação de roupas. Os funcionários não são apenas ensinados a obter liberações, mas também a fazer a transição para um procedimento de transporte, a fim de evitar novos ataques e estabilizar o indivíduo em crise. Os procedimentos são repetidos quantas vezes forem necessárias para a fluência, então todos os procedimentos são “travados” com um número mínimo de repetições perfeitas.

 

  • Transporte

Os procedimentos de transporte são os menos restritivos e compõem o núcleo dos procedimentos físicos do PCM. Eles, portanto, exigem uma contagem de repetições maior do que a segurança pessoal, imobilização vertical ou mesmo horizontal. Todos os procedimentos de transporte são primeiro ensinados no local para fluência tanto do menos para o mais e do mais para o menos restritivo. Os participantes não passarão a andar até que haja fluência em pé no lugar. Uma vez que haja fluência durante a caminhada, tanto do mais para o menos quanto do menos para o mais restritivo, só então os participantes poderão realizar o número mínimo de itens perfeitos do checklist.

 

  • Imobilização

Aqueles indivíduos treinados em um nível superior também aprenderão a usar a imobilização vertical ou a imobilização vertical e horizontal. Tal como acontece com os outros procedimentos, a equipe deve demonstrar fluência com os procedimentos antes de tentar realizar repetições perfeitas dos procedimentos.

Precisa de ajuda?
Escanear o código
Precisa de ajuda?
Escanear o código