Organizar e Treinar os Instrutores

Passo 2: Organizar e Treinar os Instrutores

Criar o seu próprio time de gerenciamento de crises

Para reduzir custos e esforços, mas maximizar a capacidade interna, a abordagem PCM baseia-se fortemente em uma abordagem de “Treinar os Treinadores”.

Você reconhece algum desses problemas?

Não posso enviar todos os meus funcionários de linha de frente para o treinamento

Enviar minha equipe para um treinamento em uma organização externa é muito caro e ela ainda perde dias de trabalho adicionais por causa de viagens. Tenho muitos funcionários que precisarão ser treinados e não posso enviar todos.

Eu envio meus funcionários para treinamentos caros, mas eles não parecem fluentes com o material

Gastamos uma quantidade considerável de tempo e dinheiro para treinar nossa equipe, mas quando essas pessoas estão se preparando para ensinar nossa equipe de linha de frente, elas parecem muito inseguras sobre como se preparar para o treinamento e devem interromper o treinamento várias vezes para entrar em contato com o fornecedor do programa para esclarecimentos.

Minha equipe tem perguntas relacionadas a uma crise e não há ninguém no local para respondê-las

Nossa equipe faz muitas perguntas sobre gerenciamento de crises, incluindo algumas perguntas e preocupações muito detalhadas sobre como as contenções se relacionam com alguns de nossos clientes/alunos. Parece que ninguém na organização pode responder a muitas dessas perguntas e a equipe da linha de frente fica frustrada.

Um membro da equipe fica doente pouco antes do treinamento e perdemos o dinheiro para esse treinamento

Estamos preocupados em perder dinheiro de treinamento se um de nossos funcionários ficar doente/ferido pouco antes do treinamento ou tiver que cancelar o treinamento devido a emergências familiares. Também tivemos funcionários que pensaram que poderiam concluir um treinamento em gerenciamento de crises, mas acharam os procedimentos físicos muito difíceis.

Minha equipe não pode treinar ninguém fora da minha organização

Há momentos em que gostaríamos de oferecer treinamentos de gerenciamento de crises para outras agências ou pais/responsáveis, mas o sistema que usamos não permite que nossos instrutores treinem fora de nossa agência. Isso é uma frustração para nós, porque às vezes os pais e nossa equipe não estão na mesma página. Também é uma frustração para nós porque sabemos que os pais podem se beneficiar do treinamento.

Você tem esses objetivos e desejos?

Uma equipe interna que lida com todo o treinamento de gerenciamento de crises no local

Eu gostaria de uma equipe de instrutores internos que possam treinar todos os meus funcionários em seus locais de trabalho na conveniência do meu estabelecimento.

Instrutores que são claramente fluentes no material, se sentem confiantes e prontos para treinar a equipe

Esperamos instrutores que não apenas conheçam o material, mas sejam realmente fluentes e confiantes o suficiente para conduzir uma aula que funcionará sem problemas e incutir confiança em nossa equipe.

Quero um especialista interno em gerenciamento de crises para apoiar minha equipe

Quero um especialista interno em gerenciamento de crises a quem minha equipe possa recorrer quando tiver dúvidas relacionadas a crises. Preciso de alguém no local que não seja apenas um especialista em intervenção em crises, mas que também entenda o sistema de crise tão bem que só precise procurar assistência externa em ocasiões muito raras.

Um sistema que dá um voucher se um funcionário ficar doente durante ou imediatamente antes de um treinamento

Gostaríamos de um sistema que entendesse que alguns funcionários podem estar doentes ou feridos ou talvez não tenham sido escolhidos adequadamente para o treinamento e, independentemente disso, ofereça um voucher para enviarmos a outro indivíduo.

Um sistema que permite que minha equipe treine outros funcionários/pais relacionados fora da minha agência (geração de receita de treinamento externo)

Gostaríamos de um sistema com flexibilidade para permitir que nossos instrutores treinem indivíduos fora de nossa agência. Gostaríamos de poder treinar pais, advogados e outros para aumentar sua conscientização sobre o que fazemos e mostrar como o treinamento pode ajudá-los em casa.

A Sequência de Treinamento do Instrutor PCM é como os Instrutores PCM são treinados para a Fluência

Sequência do Treino do Instrutor PCM

A prática é como uma residência médica. Você pode imaginar, mesmo um médico formado em Harvard que vai diretamente para a prática sem antes fazer uma residência?

“Educar instrutores” é o segundo passo do Estágio de Treinamento do Sistema de Assinatura do PCM. Isso o levará a ter sua própria equipe de especialistas internos

O Treinamento do Instrutor Explicado

Boas-vindas à associação

Assim que sua equipe se inscrever para o treinamento, ela receberá um pacote de boas-vindas do PCM. Isso conterá informações valiosas de pré-treinamento, como logística de treinamento e o que esperar.

Essa ferramenta é um treinamento autônomo, mas também é um excelente complemento ao treinamento de PCM.

O modelo em que se baseia foi originalmente desenvolvido e posteriormente adaptado por uma equipe dedicada de Analistas de Comportamento Certificados pelo BACB e é baseado no trabalho marcante do Dr. Glenn Latham, um proeminente psicólogo, analista de comportamento, autor e apresentador.

Didática compreensiva baseada em competência

Os participantes aprendem os principais conceitos e procedimentos para a prevenção de comportamentos pré-crise, redução do comportamento pré-crise quando ele ocorre e como ajudar os indivíduos a se reintegrarem nos sistemas existentes de ensino e tratamento. Os participantes também são ensinados sobre os principais conceitos de como o comportamento interage com a fisiologia e como isso afeta a capacidade da equipe de gerenciar indivíduos com segurança. Todos os funcionários devem atingir pontuações mínimas nos testes e passar em itens críticos em seus exames escritos para se tornarem certificados.

  • Profissionais: Quer sua equipe seja professores de sala de aula, terapeutas comportamentais individuais ou profissionais de atendimento direto em instalações residenciais, todos precisam saber o que esperar do treinamento PCM. Alguns funcionários podem se preocupar em serem vistos pelos clientes/alunos como “aplicadores da lei”. Outros podem estar preocupados com as consequências dos administradores ou pais/advogados sobre sua decisão de usar a contenção, o nível da contenção ou como ela foi realizada. É até possível que alguns funcionários sintam que é moralmente errado conter indivíduos com necessidades especiais. A PCMA possui materiais projetados especificamente para atender às preocupações de sua equipe, transformando sua apreensão em entusiasmo para obter a certificação.
  • Pais: Os pais/advogados normalmente têm preocupações muito diferentes das da sua equipe. Naturalmente, eles estão preocupados com a segurança dos procedimentos físicos, mas também querem entender por que os procedimentos estão sendo usados ​​com seu filho/filha. Eles também estão preocupados com a notificação oportuna quando as restrições ocorrerem e as medidas que foram implementadas para diminuir ou evitar futuras restrições. Fornecemos um guia introdutório ao sistema PCM para os pais, que não apenas os familiariza com o sistema PCM, mas também fornece expectativas e explica um sistema de crenças (as contenções não são usadas para punir o mau comportamento, mas para interromper o comportamento perigoso que deve ser interrompido imediatamente).
  • Administradores: Sejam diretores em escolas ou diretores executivos em instalações residenciais, os administradores devem abordar as preocupações da equipe (S), dos pais (P) e, em seguida, suas próprias preocupações! Em termos de prontidão, os administradores terão preocupações sobre uma variedade de questões. Uma questão pode ser a substituição da equipe quando há treinamento, outra importante é a atitude da equipe e dos pais em relação ao uso da contenção. Outras questões incluem o nível de aptidão dos profissionais em relação à gravidade dos problemas de comportamento e coleta de dados de contenção e como isso será usado para tomar decisões. Na verdade, há tantas preocupações administrativas em potencial sobre um novo sistema de gerenciamento de crises que a PCMA inclui um guia do administrador de 25 páginas repleto de informações valiosas que ajudarão a garantir uma implantação tranquila.
Treinamento BST para habilidades físicas

Todos os participantes devem demonstrar não apenas habilidades ao instrutor, mas devem demonstrá-las um número mínimo de vezes, perfeitamente, sem dicas. O número mínimo de repetições de cada procedimento garante fluência e o critério para contar um procedimento como correto é muito alto, o que garante precisão. Todos os participantes são formalmente testados em uma amostra de procedimentos com a oportunidade de demonstrar cada procedimento duas vezes. Os participantes que não puderem demonstrar os procedimentos após duas tentativas precisarão de uma pequena quantidade de treinamento adicional (um retreinamento de 3 horas) para garantir que a equipe seja competente.

Depois de seguir o modelo de recurso de apoio, você já pode fazer seu planejamento logístico e orçamentário final para o treinamento de instrutores.

Como exemplo de uso do modelo, digamos que na fase de Análise foi determinado que em uma determinada sala de aula, as atitudes dos funcionários eram muito incertas quanto ao uso de procedimentos mais restritivos (como contenções no chão). Dada essa informação, a fase de informar usa a ferramenta SPA para fornecer mais informações aos profissionais que se sentem inseguros. Se após o uso da ferramenta SPA, suas atitudes não mudaram, então seria melhor treinar esses funcionários no nível mais baixo em que as contenções consistem apenas em escoltas (procedimentos de transporte) até que as atitudes dos funcionários mudem um pouco.

Simulação de crise

Não é suficiente que os participantes sejam capazes de demonstrar com competência a forma correta do procedimento. A forma correta é fundamental, mas o procedimento deve ser funcional na redução do movimento durante uma crise. Para garantir que os procedimentos sejam funcionais para a equipe, todos os treinamentos usam encenações para simular o nível de resistência que pode ocorrer durante uma crise de nível baixo a médio. Não basta apenas “conhecer” a forma de um procedimento, sua equipe também deve entender a mecânica corporal para que possa manter o controle do indivíduo com segurança. Durante a simulação de crise, a equipe também aprenderá a controlar suas próprias emoções para que possa tomar decisões racionais, mesmo quando os clientes/alunos são altamente irracionais. A equipe não apenas aprenderá como é usar os procedimentos, mas também aprenderá a dar feedback a um “cliente” durante a simulação.

Depois de seguir o modelo de recurso de apoio, você já pode fazer seu planejamento logístico e orçamentário final para o treinamento de instrutores.

Como exemplo de uso do modelo, digamos que na fase de Análise foi determinado que em uma determinada sala de aula, as atitudes dos funcionários eram muito incertas quanto ao uso de procedimentos mais restritivos (como contenções no chão). Dada essa informação, a fase de informar usa a ferramenta SPA para fornecer mais informações aos profissionais que se sentem inseguros. Se após o uso da ferramenta SPA, suas atitudes não mudaram, então seria melhor treinar esses funcionários no nível mais baixo em que as contenções consistem apenas em escoltas (procedimentos de transporte) até que as atitudes dos funcionários mudem um pouco.

Prática

No estágio da prática do PCM, um instrutor experiente lidera o curso e oferece inúmeras oportunidades para instrutores recém-treinados tanto para explicar os princípios básicos do sistema do PCM quanto para corrigir e inspecionar os procedimentos físicos. Esse processo continua até que os instrutores recém-treinados possam corrigir o procedimento sem a necessidade de dica do instrutor principal.

Depois de seguir o modelo de recurso de apoio, você já pode fazer seu planejamento logístico e orçamentário final para o treinamento de instrutores.

Como exemplo de uso do modelo, digamos que na fase de Análise foi determinado que em uma determinada sala de aula, as atitudes dos funcionários eram muito incertas quanto ao uso de procedimentos mais restritivos (como contenções no chão). Dada essa informação, a fase de informar usa a ferramenta SPA para fornecer mais informações aos profissionais que se sentem inseguros. Se após o uso da ferramenta SPA, suas atitudes não mudaram, então seria melhor treinar esses funcionários no nível mais baixo em que as contenções consistem apenas em escoltas (procedimentos de transporte) até que as atitudes dos funcionários mudem um pouco.

Precisa de ajuda?
Escanear o código
Precisa de ajuda?
Escanear o código